May 21, 2012

ESPECIAL - SANTA JOANA D'ARC - SUA FESTA 30 DE MAIO




FILME: JOANA D'ARC - 1948 - VIDA E MARTÍRIO DE SANTA JOANA DARC




PALESTRA DO VIDENTE MARCOS TADEU APÓS A EXIBIÇÃO DESTE FILME NA CAPELA DAS APARIÇÕES NO DIA 06.11.2011


http://pt.gloria.tv/?media=213715


 FILME: JOANA D'ARC (HISTÓRIA DA VIDA DE SANTA JOANA D'ARC 1999)


http://pt.gloria.tv/?media=158755





OS MILAGRES DE SANTA JOANA DARC PARA SUA BEATIFICAÇÃO E CANONIZAÇÃO.








No processo de declaração de uma pessoa a "santo" os promotores da causa do santo em perspectiva são convidados a apresentar quatro autênticos milagres para garantir a beatificação e para a  canonização mais dois milagres.



 

O Santo Padre pode dispensar um milagre se o candidato fundou uma ordem religiosa. 

No caso de  Joana D'Arc , esta dispensa foi concedida porque ela tinha salvado a França. 

Assim, três milagres foram suficientes para a sua beatificação. 






Os três milagres aprovados que levaram Joana a Beata foram estes:


1) Irmã Teresa de Santo Agostinho, que viveu em Orleans, foi curada de úlceras na perna.


2) A irmã Julie Gauthier, que viveu em Faverolles, foi curada de uma úlcera cancerosa em seu peito esquerdo.



3) Irmã Marie Sagnier, que viveu em Frages, foi milagrosamente curada de um câncer do estômago.


O Papa Pio X solenemente aceitou esses três milagres como autênticos em 13 de dezembro de 1908. 










Ele declarou, "Joana de Arc brilhou como uma estrela nova destinada a ser a glória, não só da França, mas da Igreja Universal também."

 Foi por causa de sua virtude heróica que ela foi declarada Beata em 18 de abril de 1909.




 


O Partido Socialista na França era muito anti-clerical e queria canonizar Joana d'Arc para que eles pudessem usar sua imagem estritamente como uma heroína política. 

Entre 1895 e 1905, as relações entre o governo socialista e a Santa Sé, pioraram ao ponto de um colapso total. 

Francaise L 'Action, uma organização monarquista político conservadora, trabalhou e saiu às ruas para derrubar o governo socialista. 

Esta organização também trabalhou para a canonização de Joana.



Os dois milagres necessários para a canonização de Joana d'Arc foram obtidos e autenticados sem muita demora, mas a I Guerra Mundial pôs fim a todas essas atividades. 

Em 1920, quando a guerra acabou e os franceses saíram vitoriosos, o Vaticano queria melhorar as relações com o governo socialista.

 A Santa Sé estava disposta a dar-lhes a santa, se o governo francês restabelecesse as relações diplomáticas.



Em seu livro, Saint Joan of Arc, Mons. Leon Cristiani descreveu sua ligação a um dos dois milagres que levaram Joana D'Arc oficialmente a ser declarada santa pela Igreja. 

O milagre que ele testemunhou ocorreu em Lourdes, em 22 de agosto de 1909, durante a procissão do Santíssimo Sacramento.
A pessoa em questão era Thérèse Belin, que estava inconscientequando o Santíssimo Sacramento passou à sua frente. Mons. Cristiani estava desejoso de ver Joana canonizada. 

Ele obteve permissão do Bispo de Orleans para chamar Joana D'Arc durante a bênção dos enfermos, na esperança que um milagre poderia ocorrer que poderiam ser atribuídos à intercessão de Joana. 










Na primeira invocação a Beata Joana de Arc, Teresa abriu os olhos, na segunda ela se sentou em sua maca e no terceira ela sentiu que tinha sido curada. 










Mons. Cristiani depois entrevistou Teresa e sua madrinha sobre sua doença.

 Informaram-lhe as várias fases de sua doença, as operações que ela teve e os remédios que haviam sido usados ​​sem efeito. 

Seu diagnóstico médico foi de tuberculose peritoneal e pulmonar, complicada por uma lesão orgânica do orifício mitral. 

Em outras palavras, teve tuberculose em seus pulmões e na cavidade abdominal, que foi complicada por uma lesão orgânica de sua válvula mitral do coração - obviamente ela estava muito doente.




 


Outra cura reconhecida ocorreu a Miss Mirandelle que tinha um diagnóstico de mal perfurante plantar o que significa que ela tinha um buraco que atravessou a planta de seu pé.







 

Joana d'Arc foi canonizada em uma cerimônia grandiosa e solene na Basílica de São Pedro em 16 de maio de 1920. 

Sua festa é celebrada em 30 de maio, o dia de sua morte.



Em 10 de julho de 1920, o governo francês fez oficialmente 08 de maio como feriado nacional.

 E pelo 20 de novembro deste mesmo ano, retomou as relações diplomáticas com a Santa Sé.



No aniversário de cinco centésimo de Joana d'Arc da morte, 30 de maio de 1931, houve uma grande celebração em Rouen para marcar este aniversário. 

Representantes do governo, exército, universidades, parlamentares, magistrados, o clero e papado compareceram.

 Mesmo o arcebispo de Westminster, Prelado de toda a Inglaterra, veio para expressar a sua grande admiração de suas virtudes.


 


Desde a infância mais precoce Joana d`Arc orou ardentemente a partir de seu coração. 

Sua vida de oração levou a uma fé fervorosa em Deus. Sua fé em Deus levou-a a amá-lo profundamente. 

Este intenso amor a levou a aceitar a vontade de Deus para sua vida. 








Se  orarmos, crermos e amarmos serenamente como Joana fez, então nós também seremos usados por Deus!

 Este é o segredo para a santidade de Joana, ela ouviu, respondeu e obedeceu. 






"Aqui eu estou o SenhorEu venho para fazer a Tua vontade! Ela declarou em seu julgamento, e sua mensagem para nós é: 

"Eu acreditava que era um anjo falando comigo, e eu tive a vontade de acreditar."









O primeiro milagre.




Irmã Teresa de Santo Agostinho, uma freira beneditina de Orleans, foi atacada em Dezembro de 1897, por dores agudas no estômago. Estas aumentaram continuamente, acompanhadas pela doença freqüente, até maio de 1900, ela teve vômitos de sangue tão exaustivos que ela parecia estar quase morta.



Daquele momento em diante, ela nunca saiu de sua cama. Os vômitos se tornaram quase diários e de reincidência constante. Ela estava no dilema de asfixia, se ela tomasse qualquer alimento, ou de morrer de fome se ela não o tomasse.



O médico esperava que ela tivesse morte rápida.






Nestas condições uma novena a Joana d'Arc foi iniciada em 30 de julho de 1900.

Os vômitos de sangue continuaram quase incessantemente.

 Em 6 de agosto foram mais freqüentes do que nunca.

Na noite de 6 a 7, houve uma crise de fraqueza e de síncope.

No dia 7 os vômitos foram renovados.



Na noite de 7 de agosto, no auge da crise, a Irmã Teresa pede seu hábito, dizendo que ela ia se levantar no dia seguinte, porque ela vai ficar curada.

As irmãs presentes dizem uma a outra, "Peguem o hábito dela, ela vai se preparar para seu enterro."



Enquanto isso, a Irmã Teresa adormeceu até duas horas da manhã. Ao som do sino para Matinas ela queria subir. Foi-lhe dito para permanecer em silêncio até cinco e meia, e ela obedeceu.


Às cinco e meia, na manhã de 8 de agosto, ela se vestiu, desceu para a capela, e orou com os braços estendidos na forma de uma cruz, recebeu a Sagrada Comunhão, jantou com a comunidade sobre a tarifa comum, e não sofreu qualquer inconveniência.

Desde aquela época, a cura perfeita e instantânea foi devidamente fundamentada pela experiência subseqüente de fé na novena.















O segundo milagre.



Irmã Julie Gauthier, de Favrolles na diocese de Evruex, sofreudurante quinze anos a partir de uma úlcera cancerosa na mamaesquerda. Um dia, ela estava falando com sua classe de crianças sobre Joana d'Arc, a idéia ocorreu-lhe de fazer uma novena para a Donzela, pois ela havia deixado de lado toda a esperança de cura por meios naturais.



Mas seus sofrimentos eram tão grandes que ela temia  ser incapaz de fazer uma novena de oração seguida em  nove dias.



Ela lembrou-se então de um plano pelo qual a novena pode ser prontamente concluída. Ela levaria oito das crianças de sua classe para rezar e ela mesma iria fazer a nona oração. Eles iriam juntos dizer as orações por sua recuperação em uma única visita à igreja.

Reunir as crianças ao seu redor e ir com elas rezar ou  receber os Santos Sacramentos, era uma das delícias de Joana d'Arc. Ela faria a mesma coisa.

Eles foram, e, em seguida, e  a irmã Julie, que com dificuldade tinha sido capaz de ir tão a igreja, voltou em pleno vigor. A ferida foi fechada, e a irmã Julie estava perfeita e definitivamente curada.















O terceiro milagre.




Marie Sagnier, de Fruges na diocese de Arras, uma freira da congregação da Sagrada Família, sofreu durante três meses de úlceras e abcessos em ambas as pernas. A doença foi diagnosticada como sendo uma afeição tuberculosa da carne e ossos.



Ela fez uma novena a Joana d'Arc. Na manhã do quinto dia os curativos se soltaram, a inflamação tinha desaparecido, as úlceras e os ferimentos foram curados, os ossos haviam se tornados firmes, e Marie Sagnier havia recuperado seu vigor antigo, que tem sido mantido desde então.






Oração a Santa Joana DÁrc



Ó mais pura Virgem e Gloriosa mártir Santa Joana da qual Deus e Seu Eterno Poder tem revelado para o mundo de modo a reviver a fé, a esperança e a caridade das almas cristãs.

Eu me prostro a vossos pés minha querida santa, digna ,virgem, cheia de graça e bondade e peço que receba as orações deste seu humilde servo e obtenha para mim a pureza de teu terrível sacrifício e a fortaleza de sua alma e faça com que eu resista aos mais terríveis ataques e que eu venha a sentir este seu amor ardente para o Nosso Senhor Jesus Cristo, amor este que os mais terríveis tormentos não o fez extinguir em ti .



Assim espero que seguindo este exemplo santo e imitando sua vida, eu possa um dia estar contigo no paraíso. Na hora de minha agonia final venha em meu socorro, fique ao meu lado e me conduza a presença de Jesus.

Amem.



Oração a Santa Joana DÁrc


Senhor,



suplicamos-Lhe o perdão dos nossos pecados pela intercessão de Santa Joana , virgem e mártir, pela sua castidade de vida e cada virtude que a tornou agradável aos Seu olhos. Amém. Santa Joana, eis-me aqui, prostrado diante do trono em que apraz à Santíssima Trindade colocá-la.

Cheio de confiança em sua proteção, rogo-lhe que interceda por mim diante de Deus,dignando-se lançar um olhar sobre este seu humilde devoto.



Como a uma das esposas eleitas de Cristo, dirijo-lhe confiantemente o meu pedido de que me sustente no sofrimento, fortifique-me nas tentações, proteja-me dos perigos que me rodeiam, obtendo-me as graças de que tanto necessito, em particular (especifique, aqui, o seu pedido)...



Acima de tudo, espero contar com a sua santa assistência na hora da minha morte.



Santa Joana, pela sua poderosa intercessão junto de Deus, rogai por nós!



Santíssima Trindade, nunca cessaremos de Lhe agradecer pelas graças concedidas à bem-aventurada sempre virgem Maria e à Sua serva Santa Joana, e pela intercessão de ambas imploramos, mais uma vez, que tenha piedade de nós. Amém.