terça-feira, 29 de março de 2016

CONVITE - FESTA DA DIVINA MISERICÓRDIA






Convite: 03.04.2016 - a partir das 10hs

Venham todos ao Santuario neste dia receber as graças e promessas dadas por Nosso Senhor onde neste dia Ele não negará nada as almas (conforme a vontade de Deus)

Festa da Divina Misericórdia
Santuário das Apariçoes de Jacareí

Os 25 segredos da luta espiritual que Jesus revelou a Santa Faustina



Em Cracóvia, no dia 2 de junho de 1938, o Senhor Jesus ditou a uma jovem Irmã da Misericórdia um retiro de três dias. Faustina Kowalska registrou minuciosamente as instruções de Cristo em seu diário, que é um manual de mística na oração e na misericórdia divina.

Este diário guarda as revelações de Cristo sobre o tema da luta espiritual, sobre como proteger-se dos ataques do demônio. Estas instruções se tornaram a arma de Faustina na luta contra o maligno inimigo.

Jesus começou dizendo: ” Minha filha, quero instruir-te sobre a luta espiritual”. E estes foram seus conselhos:

1. Nunca confies em ti, mas entrega-te inteiramente à Minha Vontade.

A confiança é uma arma espiritual. Ela é parte do escudo da fé que São Paulo menciona na Carta aos Efésios (6, 10-17): a armadura do cristão. O abandono à vontade de Deus é um ato de confiança; a fé em ação dissipa os maus espíritos.

2. Na desolação, nas trevas e diversas dúvidas, recorre a Mim e ao teu diretor espiritual; ele te responderá sempre em Meu Nome.

Em tempos de guerra espiritual, reze imediatamente a Jesus. Invoque seu Santo Nome, que é muito temido pelo inimigo. Leve as trevas à luz contando tudo ao seu diretor espiritual ou confessor, e siga suas instruções.

3. Não comeces a discutir com nenhuma tentação; encerra-te logo no Meu Coração.

No Jardim do Éden, Eva negociou com o diabo e perdeu. Precisamos recorrer ao refúgio do Sagrado Coração. Correr até Jesus é a melhor maneira de dar as costas ao demônio.

4. Na primeira oportunidade, conta-a ao confessor.

Uma boa confissão, um bom confessor e um bom penitente são a receita perfeita para a vitória sobre a tentação e a opressão demoníaca. Isso não falha!

5. Coloca o amor-próprio em último lugar, para que não contagie as tuas ações.

O amor próprio é natural, mas precisa ser ordenado, livre de orgulho. A humildade vence o diabo, que é o orgulho perfeito. Satanás nos tenta no amor próprio desordenado, que nos leva à piscina do orgulho.

6. Com grande paciência, suporta-te a ti mesma.

A paciência é uma grande arma secreta que nos ajuda a manter a paz da nossa alma, inclusive nas grandes tempestades da vida. A paciência consigo mesmo é parte da humildade e da confiança. O diabo nos tenta à impaciência, a voltar-nos contra nós mesmos, de maneira que fiquemos com raiva. Olhe para você mesmo com os olhos de Deus. Ele é infinitamente paciente.

7. Não descuides as mortificações interiores.

A Escritura nos ensina que alguns demônios só podem ser expulsos com oração e jejum. As mortificações interiores são armas de guerra. Podem ser pequenos sacrifícios oferecidos com grande amor. O poder do sacrifício por amor desaloja o inimigo.

8. Justifica sempre em ti, o juízo das Superiores e do Confessor.

Cristo falava a Santa Faustina, que morava em um convento. Mas todos nós temos pessoas com autoridade sobre nós. O diabo tem como objetivo dividir e conquistar; então, a obediência humilde à autoridade autêntica é uma arma espiritual.

9. Foge dos que murmuram, como se da peste.

A língua é uma poderosa embarcação que pode causar muito dano. Estar murmurando ou fazendo fofoca nunca é de Deus. O diabo é um mentiroso que gera acusações falsas e fofocas que podem matar a reputação de uma pessoa. Rejeite as murmurações.

10. Deixa que todos procedam como lhes aprouver; age tu antes como estou a exigir-te.

A mente da pessoa é a chave na guerra espiritual. O diabo é um intrometido que tenta arrastar todo mundo. Procure agradar Deus e deixe de lado as opiniões dos outros.

11. Observa a Regra o mais fielmente possível.

Jesus se refere à Regra de uma ordem religiosa aqui. Mas todos nós já fizemos algum tipo de voto ou promessa diante de Deus e da Igreja e precisamos ser fiéis a isso: promessas batismais, votos matrimoniais etc. Satanás nos tenta para nos levar à infidelidade, à anarquia e à desobediência. A fidelidade é uma arma para a vitória.

12. Se experimentares dissabores, pensa antes no que poderias fazer de bom pela pessoa que te faz sofrer.

Ser um canal da misericórdia divina é uma arma para fazer o bem e derrotar o mal. O diabo trabalha usando o ódio, a raiva, a vingança, a falta de perdão. Muitas pessoas já nos ofenderam. O que devolveremos em troca? Responder com uma bênção destrói maldições.

13. Evita a dissipação.

Uma alma faladeira será mais facilmente atacada pelo demônio. Derrame seus sentimentos somente diante do Senhor. Os sentimentos são efêmeros. A verdade é sua bússola. O recolhimento interior é uma armadura espiritual.

14. Cala-te quando te repreenderem.

Todos nós já fomos repreendidos em algum momento. Não temos nenhum controle sobre isso, mas podemos controlar nossa resposta. A necessidade de ter a razão o tempo todo pode nos levar a armadilhas demoníacas. Deus sabe a verdade. Deixe-a ir. O silêncio é uma proteção. O diabo pode utilizar a justiça própria para nos fazer tropeçar também.

15. Não peças a opinião a todos, mas do teu diretor: diante dele sê franca e simples como uma criança.

A simplicidade da vida pode expulsar os demônios. a honestidade é uma arma para derrotar Satanás, o mentiroso. Quando mentimos, colocamos um pé no terreno dele, e ele tentará nos seduzir mais ainda.

16. Não te desencorajes com a ingratidão.

Ninguém gosta de ser subestimado. Mas quando nos encontramos com a ingratidão ou com a insensibilidade, o espírito de desânimo pode ser um peso para nós. Resista a todo desânimo, porque isso nunca vem de Deus. É uma das tentações mais eficazes do diabo. Seja grato diante de todas as coisas do dia e você sairá ganhando.

17. Não indagues com curiosidade os caminhos pelos quais te conduzo.

A necessidade de conhecer e a curiosidade pelo futuro são tentações que levaram muitas pessoas aos quartos escuros do ocultismo. Escolha caminhar na fé. Decida confiar em Deus, que o leva ao caminho do céu. Resista sempre ao espírito de curiosidade.

18. Quando o enfado e o desânimo bateram à porta do teu coração, foge de ti mesma e esconde-te no Meu Coração.

Jesus entrega a mesma mensagem pela segunda vez. Agora Ele se refere ao tédio. No começo do Diário, Ele disse a Santa Faustina que o diabo tenta mais facilmente as almas ociosas. Tenha cuidado com isso, porque as almas ociosas são presa fácil do demônio.

19. Não tenhas medo da luta: a própria coragem muitas vezes afasta as tentações, que não ousa então acometer-nos.

O medo é a segunda tática mais comum do diabo (a primeira é o orgulho). A coragem intimida o diabo; ele fugirá diante da perseverante coragem que se encontra em Jesus, a rocha. Todas as pessoas lutam, e Deus é nossa provisão.

20. Combate sempre com a profunda convicção de que eu estou contigo.

Jesus pede a Santa Faustina que lute com convicção. Ela pode fazer isso porque Cristo a acompanha. Nós, cristãos, somos chamados a lutar com convicção contra todas as táticas demoníacas. O diabo tenta aterrorizar as almas, mas precisamos resistir ao seu terrorismo. Invoque o Espírito Santo ao longo do dia.

21. Não te guias pelo sentimento, por que ele nem sempre está em teu poder, porem todo o mérito reside na vontade.

Todo mérito radica na vontade, porque o amor é um ato da vontade. Somos completamente livres em Cristo. Precisamos fazer uma escolha, uma decisão para bem ou para mal. Em que lado vivemos?

22. Nas mínimas coisas sê sempre submissa às superioras.

Aqui, Jesus está instruindo uma freira. Todos nós temos o Senhor como nosso superior (representado também pelos padres, confessores, diretores espirituais). A dependência de Deus é uma arma de guerra espiritual, porque não podemos ganhar por nossos próprios meios.

23. Não te iludo com perspectivas da paz, e de consolos, mas prepara-te antes para grandes batalhas.

Santa Faustina sofreu física e espiritualmente. Ela estava preparada para grande batalhas, pela graça de Deus. Cristo nos instrui claramente na Bíblia a estar preparados para grandes batalhas, para revestir-nos da armadura de Deus e resistir ao diabo (Ef 6, 11).

24. Fica a saber que estás atualmente em cena e que toda a Terra e o Céu inteiro te observam.

Estamos todos em um grande cenário no qual o céu e a terra nos olham. Que mensagem estamos dando com nossa forma de vida? Que tonalidades irradiamos: luz? Escuridão? Cinza? A forma como vivemos atrai mais luz ou escuridão? Se o diabo não conseguir nos levar para a escuridão, tentará nos manter na categoria dos medíocres, do cinza, que não é agradável a Deus.

25. Luta como valorosos cavaleiros, para que eu possa recompensar-te; e não temas, porque não estás sozinha.

As palavras do Senhor a Santa Faustina podem se transformar em nosso lema: “Lute como um cavaleiro!”. Um soldado de Cristo sabe bem a causa pela qual luta, a nobreza da sua missão, conhece o Rei ao qual serve; e luta até o final, com a abençoada certeza da vitória.

Se uma jovem polonesa, sem formação, uma simples freira, unida a Cristo, pode lutar como um cavaleiro, um soldado, todo cristão pode fazer o mesmo. A confiança é vitoriosa.

* * *

Para guardar as palavras de Jesus:

“Minha filha, quero instruir-te sobre a luta espiritual. Nunca confies em ti, mas entrega-te inteiramente à Minha Vontade. Na desolação, nas trevas e diversas dúvidas, recorre a Mim e ao teu diretor espiritual; ele te responderá sempre em Meu Nome. Não comeces a discutir com nenhuma tentação; encerra-te logo no Meu Coração e, na primeira oportunidade, conta-a ao confessor. Coloca o amor-próprio em último lugar, para que não contagie as tuas ações. Com grande paciência, suporta-te a ti mesma. Não descuides as mortificações interiores. Justifica sempre em ti, o juízo das Superiores e do Confessor. Foge dos que murmuram, como se da peste. Deixa que todos procedam como lhes aprouver; age tu antes como estou a exigir-te.

Observa a Regra o mais fielmente possível. E, se experimentares dissabores, pensa antes no que poderias fazer de bom pela pessoa que te faz sofrer. Evita a dissipação. Cala-te, quando te repreenderem; não peças a opinião a todos, mas do teu diretor: diante dele sê franca e simples como uma criança. Não te desencorajes com a ingratidão; não indagues com curiosidade os caminhos pelos quais te conduzo; quando o enfado e o desânimo bateram á porta do teu coração. Foge de ti mesma e esconde-te no Meu Coração. Não tenhas medo da luta: a própria coragem muitas vezes afasta as tentações, que não ousa então acometer-nos.

Combate sempre com a profunda convicção de que eu estou contigo. Não te guias pelo sentimento, por que ele nem sempre está em teu poder, porem todo o mérito reside na vontade. Nas mínimas coisas sê sempre submissa às superioras. Não te iludo com perspectivas da paz, e de consolos, mas prepara-te antes para grandes batalhas. Fica a saber que estás atualmente em cena e que toda a Terra e o Céu inteiro te observam. Luta como valorosos cavaleiros, para que eu possa recompensar-te; e não temas, porque não estás sozinha.” (D.1760)




JACAREÍ, 27 DE MARÇO DE 2016 DOMINGO DE PÁSCOA–RESSUREIÇÃO DE NOSSO SENHOR-502ª AULA DA ESCOLA DE SANTIDADE E AMOR DE NOSSA SENHORA WWW.RADIOMENSAGEIRADAPAZJACAREI.BLOGSPOT.COM.BR-MENSAGEM DE NOSSA SENHORA








JACAREÍ, 27 DE MARÇO DE 2016
DOMINGO DE PÁSCOA – RESSUREIÇÃO DE NOSSO SENHOR
502ª AULA DA ESCOLA DE SANTIDADE E AMOR DE NOSSA SENHORA
MENSAGEM DE NOSSA SENHORA
                                                    
(Maria Santíssima): “Meus amados filhos, hoje, no dia da Ressurreição do Meu Filho Jesus venho a vós para dizer-vos: Sou a Mãe Alegre da Ressurreição!
No mesmo dia de hoje vi o Meu Filho Jesus mais resplandecente do que o Sol, entrando no Aposento aonde Eu Me encontrava para Me consolar e para Me devolver a alegria. A alegria ao Meu Coração sofrido e doloroso pela Sua Paixão e Morte e para Me tornar participante da Sua Glória, da Sua Divindade, da Sua vitória sobre satanás, o pecado e a morte.
Sou a Mãe Alegre da Ressurreição, que hoje recebi do Meu Filho Jesus o poderoso influxo de Sua Glória, de Sua Divindade elevando-Me acima de todas as criaturas e fundindo-se Ele Comigo e Eu com Ele numa só chama abrasadora de amor, de glória, de alegria e de vitória.
Sou a Mãe Alegre da Ressurreição, que hoje vem para dizer-vos: Preparai os vossos corações porque a Segunda Ressurreição, ou seja, a volta do Meu Filho glorioso sobre as nuvens do Céu está muito próxima. Ele virá, virá para vencer, para derrotar definitivamente a satanás e todas as potências do mal. Virá para levar a cabo finalmente toda a gloriosa obra da salvação renovando Céus e a Terra e trazendo para vós o seu Reino de Amor, Justiça, Santidade e Paz.
Virá para finalmente instaurar no mundo o Seu Reino de Amor, de Justiça, de Paz enxugando dos vossos olhos todas as lágrimas e dando ao vosso coração toda a Sua Paz, todo o Seu Amor, toda a Sua Graça, toda a Sua Alegria. Ele virá para colocar fim a este mundo dominado pelo pecado e por satanás, para transformar este deserto frio e sem amor que se tornou a humanidade num Jardim de Amor e de Santidade.
Virá para transformar este pântano de trevas e de pecado que é este mundo num Jardim luminoso de Sua Glória e de Sua Graça, dando a todos os Meus filhos que Me são fiéis à graça da vitória, da alegria e da salvação eterna.
Agora é o momento em que deveis perseverar Comigo na espera da Sua triunfante volta na Glória que finalmente porá fim a todas as obras de satanás, a todas as obras do pecado. E restaurará finalmente a harmonia entre o homem e Deus fazendo com que o Novo Céu e a Nova Terra venha para a humanidade, onde o homem e Deus conviverão em harmonia, em amor e em amizade eterna para todo o sempre.
Agora é o momento em que deveis continuar, perseverar, caminhar Comigo na estrada da oração, da graça, da conversão, da santidade e do perfeito amor. Para que vós todos possais ser dignos de encontra-vos com o Meu Filho Jesus glorioso que voltará a vós em breve na Sua grande Glória.
Apressai a vossa conversão, não há mais tempo, o Grande Aviso, o Grande Castigo, os três dias de trevas estão muito próximos de vós. Rezai, afastai-vos de todo o pecado, vivei na graça e no amor de Deus, rezai o Meu Rosário todos os dias para que vós possais cada dia crescer no amor.
Criai nos vossos corações o verdadeiro amor por Deus e por Mim, para que verdadeiramente a vossa santidade e o vosso amor sejam provados com obras de amor, orações de amor, sacrifícios de amor. E assim, todos vós possais verdadeiramente tornar-vos semelhança viva do Meu Imaculado Coração.
Continuai com todas as orações que Eu vos dei Aqui, para que verdadeiramente Eu possa transformar todos vós nas rosas místicas de oração, sacrifício, penitência e amor, para dar e entregar ao Meu filho Jesus, que já está voltando a vós na glória.
Levai a sério Minhas Mensagens, são os Meus últimos Avisos. Lede a Minha Vida, porque ali aprendereis de Mim a verdadeira santidade que agrada a Deus. Fazei com que a Minha Chama de Amor cresça cada dia mais nos vossos corações pela renúncia à vossa opinião, à vossa vontade, ao vosso eu. E para que vós verdadeiramente procureis só e em tudo fazer a vontade de Deus e a Minha, pois isto consiste o verdadeiro amor e a verdadeira santidade.
A todos Eu abençoo agora com Amor de Mãe Alegre e Jubilosa da Ressurreição de Lourdes, de Fátima e de Jacareí.”


Participe das Aparições e orações do Santuário. Informe-se pelo TEL: (0XX12) 9 9701-2427
TRANSMISSÃO AO VIVO DOS CENÁCULOS
SÁBADOS ÀS 16:00HS – DOMINGOS ÀS 10HS
RÁDIO: DIARIAMENTE DAS 7:30 DA MANHÃ À MEIA NOITE



JACAREÍ, 26 DE MARÇO DE 2016-SÁBADO SANTO–SOLEDADE DE NOSSA SENHORA 501ª AULA DA ESCOLA DE SANTIDADE E AMOR DE NOSSA SENHORA-WWW.RADIOMENSAGEIRADAPAZJACAREI.BLOGSPOT.COM.BR-MENSAGEM DE NOSSA SENHORA DA SOLEDADE


JACAREÍ, 26 DE MARÇO DE 2016
SÁBADO SANTO – SOLEDADE DE NOSSA SENHORA
501ª AULA DA ESCOLA DE SANTIDADE E AMOR DE NOSSA SENHORA
MENSAGEM DE NOSSA SENHORA DA SOLEDADE
                                                    
(Maria Santíssima): “Meus queridos filhos, Eu Sou a Mãe da Soledade e da Espera.
Sou a Mãe da Soledade e da Espera que hoje permaneceu sem o Meu Filho Jesus no silêncio, na oração e na solidão, chorando e relembrando todos os tormentos do Meu Divino Filho morto pela salvação de todos vós.
Sou a Mãe da Soledade e da Espera, que ainda hoje sofre porque a humanidade continua a renovar a Paixão do Meu Divino Filho Jesus pelos seus pecados e se recusa a converter-se ao seu Deus de Amor.
Sou a Mãe da Soledade e da Espera que ainda hoje sofre porque procuro amor nos Meus filhos e não encontro, procuro obediência e não encontro, procuro carinho e não encontro. Procuro almas que permaneçam Comigo vivendo sempre mais em oração e santidade, ajudando-Me a salvar as almas deste mundo tomado, dominado pelo pecado e não encontro.
Sou a Mãe da Soledade e da espera, que hoje espera a Ressurreição gloriosa do Meu Filho na solidão, no recolhimento, na oração vigiando até que o Meu Filho saia do sepulcro glorioso, vencedor da morte e do pecado para instaurar verdadeiramente Seu Reino de Graça no mundo, nas almas e nos corações.
Sou a Mãe da Espera que ainda hoje no grande Sábado Santo do vosso tempo, continua velando e rezando na espera da Segunda Ressurreição que haverá. Ou seja, a volta do Meu Filho Jesus na Glória com os Anjos do Céu, para renovar o Céu e a Terra e transformar todo o mundo na perfeita imagem e semelhança do Paraíso.
Sou a Mãe da espera que nestes anos nas Minhas Aparições Aqui, ano após ano continuei rezando, velando, vigiando e esperando a volta do Meu Filho Jesus juntamente com o Meu filhinho Marcos.
E Aqui continuo chamando todos os Meus filhos a unirem-se Comigo e o Meu filhinho Marcos na espera do glorioso retorno do Meu filho Jesus, a ressurreição final, na oração, na vida de sacrifício, na vida da graça, da santidade, do amor e da fidelidade a Deus.
Sou a Mãe da Espera que ainda hoje vos anuncia: Está para terminar em breve o vosso grande sábado santo. Sim, este longo sábado santo de espera do retorno do Meu glorioso Filho Jesus está para acabar em breve. E esta demora para vós tão longa, tão prolongada finalmente culminará com o Triunfo do Meu Coração Imaculado, com o retorno do Meu Filho na glória que virá para trazer para todos vós o novo Céu e a nova Terra.
Este tempo de espera é para vós um tempo de grande graça para que vos prepareis dignamente e perfeitamente para retorno do Meu Filho Jesus. Não desperdiceis as graças que Eu vos tenho trazido nas Minhas Aparições Aqui, antes aproveitai-as ao máximo correspondendo com todo o vosso coração ao Meu amor e ao Amor de Deus. Para que vós possais crescer nas virtudes, criar em vós o verdadeiro amor enquanto ainda é tempo para que quando o Senhor chegar não vos encontre sem a veste nupcial das bodas do Cordeiro, ou seja, a veste do amor em pura transformação, da santidade perfeita, do amor eterno.
Sim, Meus filhos, este tempo de grande espera está para acabar e é por isso que estou ainda convosco para vos ajudar nesta grande espera a perseverardes até o fim. Quando os vossos olhos depois de toda a tribulação e de todo este tempo de predomínio de satanás e do pecado vossos olhos verão verdadeiramente o Meu filho Jesus vivo, ressuscitado e vindo para renovar todas as coisas.
Afastai-vos do pecado, mantende-vos na graça de Deus, ajudai-Me a salvar os Meus filhos nesse mundo completamente dominado pelo pecado, vivendo as Minhas Mensagens, rezando como Eu vos pedi Aqui, levando as Minhas Mensagens a todos os Meus filhos sem medo. Para que verdadeiramente os Meus filhos conheçam o Meu Amor e através do Meu Amor o Amor de Deus e assim a Minha chama de amor possa tocá-los, convertê-los, abrasá-los, salvá-los e santifica-los.
 Continuai a rezar Aqui o Meu Sacratíssimo Rosário e todas as orações que Eu vos pedi e dei, porque através delas cada dia mais a Minha Chama de Amor crescerá nos vossos corações.
Eu vos amo muito de todo o Meu Coração e nunca vos abandonarei.
A todos Eu abençoo com Amor de Nazaré, de Jerusalém e de Jacareí.”




Participe das Aparições e orações do Santuário. Informe-se pelo TEL: (0XX12) 9 9701-2427
TRANSMISSÃO AO VIVO DOS CENÁCULOS
SÁBADOS ÀS 16:00HS – DOMINGOS ÀS 10HS
RÁDIO: DIARIAMENTE DAS 7:30 DA MANHÃ À MEIA NOITE



segunda-feira, 28 de março de 2016

JACAREÍ, 25 DE MARÇO DE 2016-SEXTA-FEIRA SANTA DA PAIXÃO DE NOSSO SENHOR-500ª AULA DA ESCOLA DE SANTIDADE E AMOR DE NOSSA SENHORA-WWW.RADIOMENSAGEIRADAPAZJACAREI.BLOGSPOT.COM.BR-MENSAGEM DE NOSSA SENHORA








JACAREÍ, 25 DE MARÇO DE 2016
SEXTA-FEIRA SANTA DA PAIXÃO DE NOSSO SENHOR
500ª AULA DA ESCOLA DE SANTIDADE E AMOR DE NOSSA SENHORA
MENSAGEM DE NOSSA SENHORA
                                                    
(Maria Santíssima): “Meus queridos filhos, Eu Sou a Senhora das Dores.
Hoje, no dia quando contemplais o Meu Filho Jesus pendente da Cruz e a vossa Mãe Dolorosa aos pés da Cruz transpassada por uma espada de Dor, venho novamente dizer-vos: Ainda hoje Sou transpassada. Sou transpassada pela humanidade que rebelada contra Deus afasta-se cada dia mais Dele e vive habitualmente no pecado sem se preocupar com as ofensas que faz a Deus, com os males que pratica e dissemina e também sem se preocupar com o seu futuro eterno.
Sou transpassada por essa humanidade que voltou a ser pagã depois de dois mil anos do nascimento, da vida e da morte do Meu Filho. Esta humanidade que cada dia mais rejeita as suas palavras, rejeita o seu amor, rejeita os Seus Mandamentos, rejeita o Seu Evangelho e a verdade caminhando pelas estradas do pecado, da violência, da treva de satanás abrindo para si mesma o abismo da sua autodestruição.
Sou transpassada pelos bilhões de jovens no mundo inteiro que vivem habitualmente em pecado, que não creem mais no seu Criador, que não vivem conforme os Mandamentos de Deus e dia após dia transpassam cada vez mais o coração do seu Pai e do seu Criador com a espada do pecado, do desprezo, do repúdio a Ele e à Sua Lei de Amor.
E também transpassam o Meu Coração Materno desprezando-Me como sua Mãe e preferindo viver sem Mim nas coisas mundanas que levam o mundo e a juventude à perdição.
Sou transpassada pelas famílias que cada dia mais vivem sem a oração, vivem sem a oração do Rosário, vivem sem amor, na discórdia, no adultério, na infidelidade, no ódio. Permitindo que satanás destrua já no seio familiar toda e qualquer semente de bem que possa ter sido plantada por Deus. Impedindo assim não somente que nasçam novas famílias santas no futuro, mas também novas vocações sacerdotais e religiosas boas para ajudar-Me a salvar tantos filhos Meus que correm o perigo de se condenarem eternamente.
Verdadeiramente, as famílias se transformaram em sepulcros onde não há mais a graça de Deus, não há mais o amor, a oração, não há mais a fé católica. Por isso, das famílias de hoje saem os jovens mais violentos, cruéis, maldosos, egoístas, duros de coração e frios que a humanidade jamais conheceu igual.
Sim, isso é resultado das famílias sem Deus e é por isso que Eu vos peço Meus filhos, fazei o Cenáculo familiar, rezai o Meu Rosário em família para que Eu possa verdadeiramente unir as vossas famílias e preservá-las do adultério, da separação, possa preservar os filhos de crescerem com o pecado, a maldade, o ódio, o egoísmo e a violência no coração.
Fazei das vossas famílias verdadeiros grupos de oração, porque se isso não fizerdes Meus filhos, no futuro os vossos filhos se voltarão não somente contra os outros, mas contra vós mesmos. E vos darão fim terrível se vós agora não começardes a criar neles o amor a Deus, aos Seus Mandamentos, às coisas santas e a Mim, a vossa Mãe Imaculada.
Somente Eu posso salvar as vossas famílias, mas Eu só posso salvá-las se vós fizerdes nas vossas famílias os grupos de oração que Eu vos tenho pedido. Então, verdadeiramente Me consolareis a Minha grande Dor e Me darei a graça de verdadeiramente viver convosco no meio de vós preservando vossas famílias de todo o mal.
Eu Sou transpassada pela Igreja que agora conhece a hora da sua maior apostasia, os seus pastores, os bispos e sacerdotes já não acreditam mais nas verdades da fé. Caíram nos vícios e nos prazeres, descuidaram da oração e da penitência e caíram em trevas e por isso levam consigo pelo caminho da perdição tantas e tantas almas que cegas não enxergam que eles são pastores cegos.
Sou transpassada porque na igreja se prega a diminuição da vossa Mãe Maria Santíssima, a diminuição dos Santos e dos Anjos, a diminuição do Santo Rosário e das orações que durante tantos séculos a Igreja rezou dadas por Mim para defendê-la e salvá-la de todos os males do mundo.
Sou transpassada porque na Igreja se ensinam os erros modernos que levam à morte espiritual a tantas almas e a perda da fé a tantas e tantas almas.
Sou transpassada porque cada dia mais a humanidade afunda no adultério, na fornicação, na violência, no ódio e nas guerras e cada dia mais se aproxima do grande Castigo que cairá sobre ela para por fim aos pecados e aos crimes que todo dia comete.
Vede se há dor igual à Minha Dor? Ajudai-Me Meus filhos a salvar essa Minha pobre humanidade, essa Minha pobre filha que agora está tão chagada como uma leprosa. Ajudai-Me a fechar as suas chagas com a vossa oração, com o vosso exemplo de santidade, com o vosso amor. E, sobretudo fazendo os grupos de oração por toda a parte para divulgar Minhas Mensagens e levar a Minha Chama de Amor a todos os Meus filhos.
Ajudai-Me com o vosso sim generoso oferecendo a vossa vida todos os dias a Mim, para que verdadeiramente Eu viva em vós e vós vivais em mim numa vida de perfeita comunhão e amor. Eu desejo um amor de obras, um amor de verdade e não de aparência. Eu desejo uma verdadeira devoção a Mim sincera, profunda e real e não de aparências.
Por isso, recomeçai de novo a vossa conversão, a vossa vida de oração, a vossa vida de consagração ao Meu Coração Imaculado fazendo tudo Comigo, por Mim e em Mim com amor verdadeiro. Para que assim Meus filhos, na vossa vida todos os Meus filhos possam Me ver, Me sentir e Me amar.
A todos Eu abençoo agora e peço que continueis a rezar o Meu Rosário todos os dias.
Aos Meus filhos que rezam o Terço das Minhas Dores pelo menos uma vez por semana, o Terço das Minhas Lágrimas diariamente, aos Meus filhos que todos os sábados Me consagram a tarde de sábado para Me consolar e para Me amar com suas orações, a todos agora dou a Indulgência plenária e a Minha benção materna generosamente de Belém, de Jerusalém e de Jacareí.
Eu vos amo Meus filhos, a Mãe do Céu vos ama a todos e a todos guarda no Seu Manto."





Participe das Aparições e orações do Santuário. Informe-se pelo TEL: (0XX12) 9 9701-2427
TRANSMISSÃO AO VIVO DOS CENÁCULOS
SÁBADOS ÀS 16:00HS – DOMINGOS ÀS 10HS
RÁDIO: DIARIAMENTE DAS 7:30 DA MANHÃ À MEIA NOITE




quarta-feira, 23 de março de 2016

O Estado de tibieza e meios para vencê-la - Por Santo Afonso de ligório

O Estado de tibieza e meios para vencê-la

III. Estado de tibieza




Do que acima se disse deduz-se que o cristão que quiser assegurar sua salvação eterna deverá evitar até as menores faltas, pois esses pequenos regatos tornam-se finalmente em rio caudaloso, no qual a alma miseravelmente se afoga. As faltas repetidas e das quais se não faz caso arrastam a alma pouco a pouco ao estado de tibieza. "Tenho conhecimento de tuas obras e de que não és frio nem quente" (Ap 3,15). 

O Cristão tíbio não ousa voltar as costas por completo a Deus mas também não se incomoda com os pecados veniais, caindo em mil faltas todos os dias, como impaciências, mentiras, murmurações, gulodices, imprecações, apatias, loquacidade, curiosidades, vaidades, apego às honras, boa fama e vontade própria. Não liga importância a estas imperfeições e não pensa em se corrigir delas: "Oh! Antes estivesses frio ou quente, mas porque estás tépido e nem frio, nem quente, começarei a vomitar-te de minha boca", conclui o Senhor. Oh! antes estivesses frio, isto é, em pecado mortal, privado de minha graça, porque sentirias melhor a necessidade de auxílio; mas porque permaneces na tibieza, morno, estás em maior perigo de condenação, aproximando-te cada vez mais, sem te aperceberes, da queda no pecado mortal, da qual dificilmente te erguerás. 

S. Gregório nutre esperanças a respeito de um pecador não convertido; desespera, porém, de uma alma tíbia, que não se importa com sua tibieza. E o motivo está nas palavras do Senhor: "Porque estás morno, começarei a vomitar-te de minha boca". Facilmente se toma uma bebida quente ou fria, não, porém morna, porque esta causa ânsia de vômito. A alma tíbia encontra-se nesse perigo de ser vomitada por Deus, isto é, abandonada por sua graça. Deus retira-se por completo dela, pois causa nojo tomar na boca o que se vomitou. 

Como, porém, começa Deus a vomitar uma alma? Deixando de outorgar-lhe, como dantes, aquelas luzes vivas da fé, aquelas consolações espirituais, aqueles santos desejos, aqueles convites amorosos, aquele gosto sobrenatural que a tornavam fervorosa e generosa; com isso começa a deixar a meditação, a comunhão, as visitas ao SS. Sacramento, as súplicas, ou então continua a praticar esses exercícios, mas com grande contrariedade, desgosto e distração, só para ver-se livre da obrigação, sem devoção nem fervor. Assim começa o Senhor a vomitá-la. 

Ora, como a infeliz então só acha enfado e tédio em seus exercícios de devoção, sem consolação alguma, deixa por fim tudo e cai em pecado mortal. A tibieza, em uma palavra, é uma febre lenta, que apenas se nota, mas que traz irremediavelmente a morte. A alma tíbia nem de longe pensa em se emendar de suas faltas; torna-se mesmo tão insensível aos remorsos que se precipita no abismo sem o pressentir.

VI. Meios contra a tibieza


Mas não haverá então para mim nenhuma esperança mais de salvação? perguntar-me-á uma infeliz alma que se acha no estado de tibieza. Segundo o que foi dito ser-me-á, se não de todo, ao menos quase impossível livrar-me desta miséria. Ouve o que te diz o Senhor: "O que é impossível aos homens, é possível a Deus" (Lc 18,27). Quem reza e emprega os meios necessários, alcança tudo. E que meios são esses? 

1. Se se trata de faltas irrefletidas, de pura fragilidade não causam, no princípio, grande dano, contanto que sejam detestadas com humildade. Deve-se, contudo, notar que há uma dupla humildade a respeito das faltas cometidas: uma santa, provinda de Deus, e uma desregrada, oriunda do demônio. 

A humildade santa é aquela em virtude da qual a alma conhece suas imperfeições, envergonha-se de as haver cometido, confessa o seu nada diante de Deus, arrepende-se e detesta suas faltas, conservando-se, contudo, sempre em paz. Não perde a coragem, nem se inquieta à vista de sua miséria, mas redobra de fervor, confiada em Deus, procurando reparar por suas boas obras e fidelidade no serviço do Senhor as faltas cometidas.

A falsa humildade, porém, é a que perturba a alma, enche-a de inquietação e desconfiança, tornando-a fraca e, por assim dizer, incapaz de qualquer boa obra. 

Ouçamos o que diz S. Teresa a esse respeito: "Se bem que a verdadeira humildade leve a alma a conhecer sua miséria, não causa com isso nem pertubação nem inquietação do coração, antes o consola. Ela torna o coração pesaroso por causa da ofensa cometida contra Deus, mas o dilata também para confiar na sua misericórdia. A alma nesse caso tem bastante luz para se envergonhar de si mesma, de um lado, e doutro para louvar a Deus que por tanto tempo a suportou. A humildade que provém do demônio priva a alma da luz para todo o bem e parece-lhe que Deus leva tudo a fogo e a ferro. É esta uma das mais finas astúcias do demônio." 

Quanto, pois, a essas faltas, inevitáveis em consideração da fraqueza humana, diz muito bem S. Bernardo, que, assim como a negligência é repreensível a seu respeito, não o é menos um grande temor. Devemos detestar esses pecados, mas não perder por isso a coragem, já que o Senhor facilmente os perdoa. "Sete vezes cai o justo, mas torna a levantar" (Prov 24,16). Quem cai por fraqueza, facilmente se levanta. S. Francisco de Sales diz que do mesmo modo como são cometidas despercebidamente as faltas, assim também, se se notar, são reparadas. S. Tomás já dissera o mesmo, ensinando que tais pecados são perdoados indiretamente, quando a alma com fervor, se eleva até Deus, por atos de amor, de submissão, de oferta, etc., que uma alma devota costuma fazer. 

A remissão de tais pecados veniais, é feita por meio dos sacramentos, como nota o doutor angélico; por exemplo, pela recitação do Padre-nosso, pela confissão espiritual, pelo bater no peito, pela bênção de um Bispo, pela água benta, pela oração numa igreja consagrada, etc. Em especial é um efeito dos santos sacramentos e mui particular da santa comunhão, da qual diz S. Bernardino de Sena: A alma, pela comunhão, pode ser levada a uma tão grande devoção, que esta a purifica de todos os pecados veniais. 

2. Se tivermos a infelicidade de cometer alguma vez pecados veniais inteiramente deliberados, não devemos por isso perder a coragem e nos perturbar. Cuidemos então em remediar o mal imediatamente pelo arrependimento e renovação do bom propósito. Se essa desgraça se der muitas vezes, outras tantas vezes devemos nos arrepender e renovar o propósito, confiados em Deus: ele sem dúvida livrará finalmente a alma de tais faltas deliberadas, se ela continuar a agir desta forma. 

Fazer-se santo não é obra de um dia, diz S. Filipe Néri. Quem não abandonar o caminho da perfeição, uma vez encetado, não desespere, que a seu tempo chegará ao termo. Deus permite algumas vezes que caiamos em tais faltas para que fiquemos conscientes de nossa fraqueza e dos crimes que cometeríamos se ele não estendesse sobre nós sua mão poderosa. Essas faltas, ainda que premeditadas, não nos prejudicam muito, se forem raras e, em todo caso, não ocasionam a nossa perdição. 

3. As faltas porém, que facilmente nos arrastam à perdição são as que se cometem com deliberação, e, ao mesmo tempo, por hábito. Ora, isso dá-se especialmente quando nascem de uma paixão ou são filhas da tibieza, isto é, quando não fazemos conta delas, não nos arrependemos, nem nos emendamos. Indiquemos, contudo, os meios para uma alma sair desse triste estado de tibieza:

I. O Primeiro meio é um sério desejo de sair desse estado. Não se tendo esse desejo, deve-se pedi-lo a Deus, confiando na sua promessa: Pedi e recebereis. Enganam-se alguns pensando que Deus não quer que todos se tornem santos. S. Paulo afirma o contrário: "Esta é a vontade de Deus: a vossa santificação" (1 Tess 4,3). Deus quer, pois, que todos se façam santos, mas cada um nos eu estado: o religioso como religioso, o leigo como leigo, o sacerdote como sacerdote, o casado como casado, o negociante como negociante o soldado como soldado e assim por diante. 

Se desejamos seriamente nos tornar santos, nem nossos pecados antigos nos poderão impedir. Nada posso, diz o pecador a si mesmo, mas final tenho de tratar com Deus, que é infinitamente bom e poderoso. Ora, ele quer que eu tenda à santidade e oferece os meios para isso; logo posso fazer-me santo, não por minha própria força, mas pela graça de Deus que me fortifica: "Tudo posso naquele que me conforta" (Filip 4,13). 

II. O segundo meio é a resolução de se dar inteiramente a Deus. Muitos são os chamados à perfeição, sentem-se convidados pela graça e a ela aspirar e desejam mesmo atingi-la, mas porque não tem energia, nunca chegam a abandonar seu modo de viver, tíbio e imperfeito. Não basta o desejo da perfeição, é preciso ter também a firme resolução de alcançá-la, custe o que custar.

Quantas almas não se contentam só com o desejo, sem nunca dar um só passo nas vias do Senhor? S. Teresa diz: O Senhor só deseja de nossa parte uma resolução decidida, o resto ele mesmo faz. O demônio não teme as almas irresolutas (Fund. 28). A oração mental nos deve levar a empregar os meios que conduzem à perfeição. Alguns se dão a longas meditações e nunca chegam a uma séria resolução. A esse respeito escreve a mesma Santa: eu aprecio mais uma oração curta, que produz grandes resultados, a uma outra de anos, mas que não leva a alma a praticar coisa alguma digna de Deus. 

a) Devemos nos resolver antes de tudo, a empregar todos os nossos esforços para nunca cometermos um só pecado premeditado, por menor que seja, ainda que nos custe a vida. É verdade que todos os nossos esforços, sem a assistência de Deus, são insuficientes para vencermos as tentações, mas Deus quer que nos violentemos, pois só assim nos auxiliará com sua graça, socorrerá a nossa fraqueza e nos dará a vitória. 

Essa resolução enérgica nos desembaraça dos impedimentos de nosso adiantamento e nos incute grande coragem, já que nos dá a certeza de estarmos na graça de Deus. "A certeza mais absoluta possível, aqui na terra, de que estamos na graça de Deus, diz S. Francisco de Sales, não consiste nos sentimentos de amor para com Deus, mas na entrega perfeita e irrevogável de todo o nosso ser em suas mãos e na resolução firme de nunca consentir em um pecado, quer mortal, quer venial."

É de notar, porém, que uma consciência delicada é mui diferente de uma consciência escrupulosa e perplexa. Delicadeza de consciência é indispensável para se fazer santo; ansiedade é uma falta e impedimento. Deves, pois, obedecer a teu diretor espiritual e vencer os escrúpulos, que não são outra coisa senão temores vãos. 

b) Devemos também nos decidir a sempre escolher o melhor e não só o que é simplesmente agradável a Deus, mas sim o que lhe agrada mais e aí nunca devemos fazer restrições. S. Francisco de Sales diz: Devemos começar com uma resolução firme e constante, protestando que queremos, para o futuro, amar a Deus sem reserva. Essa resolução devemos então renová-la sempre (Amor de Deus, c. 12,8). 

S. André Avelino fez o voto de progredir cada dia na perfeição. Quem quiser se santificar não precisa propriamente a isso se obrigar por voto, basta que procure cada dia dar um passo adiante no caminho da perfeição. S. Lourenço Justiniano escreve: Quem uma vez começou a trilhar de todo o coração o caminho da perfeição, sente um desejo contínuo de se adiantar nele, desejo esse que vai crescendo a medida que se adianta na perfeição, visto que cada dia lhe traz mais luz e assim julga que ainda não possui virtude alguma e nenhum bem, e mesmo, quando vê claramente que praticou algum bem, parece-lhe isso tão imperfeito que não lhe dá valor. Daí procede seu contínuo esforço para alcançar a perfeição sem esmorecimento de espécie alguma. 

c) Finalmente, devemos pôr em pronta execução as resoluções tomadas e não esperar até ao outro dia, pois quem sabe se mais tare teremos tempo e vontade para isso? O Espírito Santo nos admoesta: "Tudo o que puder fazer tua mão, executa-o imediatamente, porque no sepulcro, do qual te aproximas, não há lugar nem para a razão, nem para a sabedoria, nem para a ciência" (Ecle 9,10). Isto quer dizer que então não há mais tempo para agir, nem ocasião de merecer; nenhuma sabedoria para se praticar o bem, nenhuma ciência ou experiência para nos aconselhar; depois da morte, o que se fez está feito. Eu o disse: agora eu começo" (Sl 76,11).

S. Carlos Borromeu repetia muitas vezes as palavras: Hoje eu começo a servir o Senhor. Nós também devemos dizer o mesmo, como se nada de bom tivéssemos até agora feito. E, realmente, que fizemos por Deus, se só cumprimos com o nosso dever? Não olhemos para o que fazem os outros ou para o modo por que o fazem, pois pequeno, em verdade, é o número dos que se tornam santos. Renovemos cada dia o propósito de começar a viver só para Deus. "Perfeito é só aquilo que é único em sua espécie", diz S. Bernardo. Se quisermos seguir a maioria dos homens, ficaremos imperfeitos como eles mesmos.

III. O terceiro meio para sair da tibieza é a oração mental. "A meditação põe em ordem as inclinações de nossa alma e dirige nossas ações para Deus, diz S. Bernardo; sem ela nossas tendências se voltam para a terra e nossas ações se dirigem conforme as mesmas e tudo cai em desordem". Quem não pratica a oração mental desata o laço que o prende a Deus, dizia S. Catarina de Bolonha. Não é difícil ao demônio, nesse caso, induzir uma pessoa que ele acha tão fria no amor de Deus a provar alguma fruta proibida. S. Teresa escreve (Vida, c. 8): "Se alguém perseverar na oração, ainda que o demônio induza a cometer muitos pecados, o Senhor não deixará de reconduzi-lo ao porto da salvação". "Quem não ficar parado no caminho da oração, chegará certamente ao fim, ainda que talvez mui tarde", diz ela noutro lugar.

Quanto ao assunto das meditações, nada há mais útil que meditar sobre os novíssimos, a morte, o juízo, o inferno e o céu. Mui útil é a meditação da morte, representando-nos em nosso leito mortuário, tendo o crucifixo na mão, e às portas da eternidade.

Para quem ama a Jesus Cristo e deseja crescer sempre em seu amor, o objeto mais apropriado à meditação é a paixão do divino Salvador. Segundo S. Francisco de Sales o calvário é o monte dos amantes. Todos os verdadeiros amigos de Jesus vivem continuamente nesse monte, onde não se respira outro ar que o do amor divino. À vista de Deus morrendo por nós, por nosso amor, é impossível que ele não seja amado ardentemente. Das chagas de nosso Salvador crucificado partem continuamente setas de amor, que ferem até corações de pedra. Feliz daquele que se detém continuamente no monte Calvário. Ó bem aventurado, ó amável, ó caro monte! Quem te abandonará jamais, ó monte que lanças fogo e abrasas as almas que moram em ti!

IV. O quarto meio para sair da tibieza é a recepção assídua da santa comunhão. A coisa mais agradável a Jesus Cristo que uma alma pode fazer é recebê-lo muitas vezes na santa comunhão. "Para se alcançar a perfeição não há meio melhor que comungar a miúdo", diz S. Teresa. O Senhor ajuda poderosamente a uma tal alma a alcançar a perfeição. Essa mesma santa era de opinião que regularmente as pessoas que comungam repetidas vezes se adiantam muito mais na perfeição e que maior é a observância regular nos conventos onde se recebe mais a miúdo a santa comunhão. Segundo S. Bernardo (In Coena Dom., s. 1), a santa comunhão reprime os movimentos da cólera e da incontinência, as duas paixões que nos assaltam mais frequente e violentamente. Conforme S. Tomás (III, q. 29, a; 6), ela afugenta as tentações do demônio. S. Crisóstomo diz que a santa comunhão cria em nós uma forte propensão à virtude e uma grande prontidão em praticá-la, procurando-nos ao mesmo tempo uma grande paz, tornando-nos fácil e deleitável o caminho da perfeição. Não há sacramento que tanto abrase a s almas do amor divino como a eucaristia, na qual Jesus Cristo em pessoa se nos dá todo para unir-nos a ele por meio de seu amor. Por isso dizia o venerável João Ávila: Quem desviar as almas da comunhão frequente faz o ofício do demônio. Este realmente tem um ódio imenso a esse sacramento, do qual tiram as almas tanta força para progredir no amor de Deus. Mas meu confessor não me diz que devo comungar mais vezes, replicas. Se ele não te diz, pede-lhe permissão; e se ele te negar, obedece, mas não deixes de pedir. - E isso não será orgulho? - Seria vaidade se quisesses comungar contra a vontade de teu confessor, mas não o é se o pedires humildemente licença. Este pão divino exige fome. Jesus Cristo quer ser despejado, quer ardentemente que tenhamos sede dele, diz um pio escritor. O pensamento: hoje comunguei ou amanhã receberei a comunhão, torna a alma mui cuidadosa em evitar as faltas e cumprir a vontade de Deus.

V. O quinto e o mais importante meio para se libertar da tibieza é a oração. Concedendo-nos esse meio, Deus no dá a conhecer o grande amor que nos tem. Que maior prova de amor se poderá dar a um amigo, que dize-lhe: Pede-me o que quiseres, que eu to darei? Pois assim diz-nos o Senhor: "Pedi e dar-se-vos-á, buscai e achareis." (Mt 7,7). A oração é, portanto, todo poderosa junto de Deus, e nos alcança todos os bens. Quem reza, recebe do Senhor tudo o que deseja. Mui belas são as palavras de David: "Bendito seja Deus, que não recusa minha oração, nem me subtrai a sua misericórdia" (Sl 65,20).

Se somos pobres em bens espirituais, queixemo-nos unicamente de nós mesmos. Que compaixão merece um mendigo que, podendo ser provido de tudo por um rico senhor, quisesse ficar na sua miséria, somente para não se ver na necessidade de pedir? "Deus é rico para todos que o invocam" (Rom 10,11). Quando orarmos a Deus lembremo-nos também em nos recomendar a SS. Virgem, a distribuidora de todas as graças. "Deus nos dispensa suas graças, mas pelas mãos de Maria", diz S. Bernardo. Busquemos a graça, mas busquemo-la por intermédio de Maria, pois o que ela busca, encontra,  e não pode ser desatendida". Se Maria pedir por nós, estaremos seguros, porque todas as suas súplicas são atendidas.

VI. O Sexto meio é combater as nossas paixões e, em especial a paixão dominante. Mas disso trataremos num capítulo próprio.

FonteEscola da Perfeição Cristã - Santo Afonso Maria de Ligório. Cap. IV.

AddThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...