Sep 23, 2016

FILME - VIDA DE SANTO ISIDORO - O LAVRADOR - MENSAGEM DADA NAS APARIÇÕES DE JACAREÍ AO VIDENTE MARCOS TADEU TEIXEIRA



15 DE MAIO - DIA DE SANTO ISIDORO LAVRADOR - MENSAGEM COMUNICADA NAS APARIÇÕES DE JACAREÍ


FILME: SANTO ISIDORO O LAVRADOR


JACAREÍ, 14 DE NOVEMBRO DE 2010
MENSAGENS DE NOSSA SENHORA E DE SANTO ISIDORO O LAVRADOR




MENSAGEM DE NOSSA SENHORA

"-Meus filhos, hoje, mais uma vez vos abençôo e dou a paz.
Embora o Meu Coração esteja doloroso por causa de muitos filhos Meus, Eu venho novamente dar a paz para os vossos corações e para chamar-vos mais uma vez à CONVERSÃO e à PENITÊNCIA.
Convertei-vos e voltai ao Senhor, da vossa salvação e da vossa paz, procurando deixar tudo aquilo que é contrário à Lei de Deus e à vontade Dele, para abraçar os Seus Mandamentos, para abraçar a vontade adorável do Senhor e para fazer tudo aquilo que Ele vos pede na Sua Palavra, tanto a escrita na Sagrada Escritura quanto aquela que vem a vós hoje do Céu por meio de Mim, dos Santos e por meio dos Anjos e do Espírito Santo mesmo. Para que assim, Meus queridos filhos, a vossa vida seja perfeitamente conforme a vontade do Senhor, aos Seus Mandamentos e à Sua Lei de amor.
Convertei-vos e deixai cada um, cada qual, suas obras de morte, suas obras de trevas e de pecado que obscurecem na vossa alma a luz mística da graça de Deus, a luz sobrenatural da graça santificante e cortam na vossa alma o influxo poderosíssimo do amor e da unção do Espírito Santo. Para que assim, renunciando estes pecados que cortam e destroem a vossa união sobrenatural com Deus, vossas almas possam crescer cada dia mais no amor sobrenatural para com o Senhor, na união mística da vossa alma com Ele e assim a vossa vida possa ser cada vez mais aquilo que Deus deseja: um reflexo vivo da própria santidade da Santíssima Trindade.
Convertei-vos e voltai ao Senhor, pela estrada da oração, cada vez mais feita Comigo e por meio de Mim. Por meio de uma vida de intensa oração vós podereis então crescer no conhecimento de Deus, no conhecimento de Seu Amor e de Sua graça, no entendimento de Sua Palavra e de Seus Mandamentos, para que assim os vossos passos sejam mais acertados, mais firmes e decididos no caminho da santidade. Com uma vida de oração intensa a vossa vida será um contínuo crescer no amor e na santidade e um contínuo viver e sempre mais uma verdadeira vida em Deus, com Deus e por Deus.
Convertei-vos e voltai ao Senhor, pela estrada da penitência, que muitos de vós até hoje não compreendeis. Esta penitência que Eu vos peço é a dor profunda de todos os vossos pecados, a dor profunda por terdes magoado a Deus, renovado a crucificação do Meu filho com os vossos pecados, renovado as Minhas dores com as vossas faltas.
Esta penitência que é também lançar mão de todos os atos que vos levam a expiar os vossos pecados: a abstinência, a própria oração feita em sentido de penitência, os atos expiatórios corporais, as mortificações dentre elas aquela que mais Eu vos peço o JEJUM À PÃO E ÀGUA ÀS QUARTAS E SEXTAS FEIRAS. Para que assim vós possais expiar não só os vossos pecados, mas os pecados do mundo inteiro e colaborar assim com a salvação de tantas almas!
Verdadeira penitência também que Eu vos peço é aquela que pedi aos Meus Pastorinhos em Fátima e a tantos outros videntes e servos Meus: que aceiteis os sofrimentos que Deus vos permitir cada dia para oferecê-los em ato de expiação pelos pecados com que Deus é ofendido e de súplica pela conversão dos pecadores.
Desta forma, carregando a vossa Cruz com paciência e até amor cada dia de vossa vida colaborais generosamente e poderosamente Comigo para a salvação de tantas almas e de tantas nações que correm o perigo de serem destruídas por Satanás e pelos erros que ele introduziu no mundo e que foram acolhidos com alegria pela maioria dos homens, que se afastaram de Deus e que são ateus que não crêem em Deus. Assim Meus filhos, Me ajudais na grande obra da salvação do mundo e do Triunfo do Meu Coração Imaculado.
Convertei-vos e voltai ao Senhor, ajudando-Me a reconduzir todos ao Senhor pela estrada da salvação: fazendo os Cenáculos que Eu vos pedi de casa em casa em todas as famílias, levando os Meus Rosários Meditados, as Minhas Horas da Paz, as Minhas Mensagens, as Minhas Aparições, os Meus Videntes, tornado-os conhecidos de todos. Para que assim o quanto antes, o mundo todo possa regressar ao Senhor pela estrada da CONVERSÃO, da PENITÊNCIA, da ORAÇÃO e do AMOR!
O Meu Filho Jesus tal como na Sua primeira vinda ao mundo, enviou-Me primeiro como Aurora da salvação, como Arauta da Sua chegada, da chegada do grande Rei dos Céus, como Arauto de Sua vinda! Da mesma forma, antes da Sua segunda vinda Ele Me envia agora em Minhas Aparições, nas Minhas Lacrimações e Manifestações para vos chamar a todos à conversão e para anunciar-vos que:
A vinda do Rei da Glória já está próxima, muito próxima!
Por isso, convertei-vos! Mudai de vida! Abandonai cada qual o caminho de pecado que tem levado, que tem palmilhado. E cada qual regresse ao Senhor  pelo caminho da santidade, da pureza, da oração e do amor. Para que quando o Rei da Glória vier, encontre em vós a fé viva, ardente e presente e possa por fim dar-vos aquela coroa de glória que Ele prepara aos Seus servidores fiéis que ao verem o seu Senhor demorar-se não esmorecem, não arrefecem (esfriam) o seu amor e não regressam às praticas mundanas, mas permanecem cada qual com a sua lâmpada cheia de azeite, queimando, firmes em vigília até que o Senhor volte no meio da noite para dar a cada qual segundo o que tiver praticado, segundo as obras que tiver feito.
Convertei-vos e voltai ao Senhor, por meio do Meu Coração Imaculado que é estrada segura e certa, para todos aqueles que querem chegar até Deus.
A todos neste momento, generosamente abençôo de FÁTIMA, de KERISINEN  e de JACAREÍ.
A paz Marcos, permanece na Minha paz sempre."





MENSAGEM DE SANTO ISIDORO O LAVRADOR

"-Amados irmãos Meus, Eu, ISIDORO ou ISIDRO, estou muito feliz por vê-los mais uma vez e por poder vir dar-vos mais uma vez a Minha benção e a Minha Mensagem.
Eu, Isidoro, o lavrador cultivei a terra com as Minhas mãos trabalhando para Senhores terrenos de carne e osso, com todo o amor, devoção e obediência de Meu coração, certo de que com isso trabalhava ao mesmo tempo para o Senhor dos Senhores e o Patrão dos Patrões, o Rei dos Céus, Lhe dando glória fazendo com perfeição e amor tudo o que Eu fazia, quer eu cavasse a terra, quer eu arasse, quer eu plantasse, quer descansasse ou comesse, quer carpinasse ou roçasse tudo Eu fazia com o máximo de amor do Meu coração e perfeição. E com isso, dei muita glória ao Meu Senhor do Céu e da Terra e também aos Meus Senhores terrenos aos quais servi com generosidade e humildade todos os dias de Minha vida.
Deus muitas vezes fazia com que os Anjos arassem a terra, enquanto Eu sem dar conta disso alongava-Me na meditação  e na oração profunda chegando mesmo a estar em êxtase. Com isso Deus quis vos ensinar que enquanto vós rezais, Ele manda os Seus Anjos para tal como eles aravam a terra, eles possam também, arar e trabalhar a terra das almas, dos corações, do mundo inteiro para receber neles: a graça de Deus, o amor de Deus, a salvação de Deus.
Por isso, é preciso rezar, rezar sempre mais ao Senhor, para que Ele envie Seus Anjos para prepararem a terra dos corações, para receberem neles a semente da Palavra de Deus, a semente da conversão e da salvação. E vós mesmos, com vossas orações, sacrifícios, testemunho de vida, com a vossa obediência e a vossa santidade, deveis arar a terra para prepará-la para receber o Senhor que vem e que volta a vós na glória.
Arai a terra! Preparai a terra para que o Senhor, que de tantos modos hoje vos envia do Céu Suas Mensagens de salvação, por meio de Sua Mãe, de Seus Santos ou pessoalmente Ele mesmo, dando-vos essas Mensagens. Para que assim todos os corações recebam a semente de Sua graça, a semente da Palavra, das Mensagens do Céu possa cair nos corações, germinar, dar fruto e fruto de santidade em abundância. Para que desta forma, o mundo todo decaído em grande aridez, em grande miséria espiritual, em grande secura espiritual, possam por fim, provar os frutos do verdadeiro amor, os frutos da graça de Deus por meio de vós e em vós!
Arai, preparai a terra com vossas orações, sacrifícios e penitências ajudando assim a preparar tantas almas que são verdadeiros terrenos pedregosos, cheios de vícios, com amor às coisas passageiras, dominadas pelo amor às criaturas, ao amor desordenado de si mesmas, do dinheiro, dos bens materiais, das honras, das glórias, da estima pública... fazendo assim com que essas almas se tornem terra fofa, macia, boa para toda a semeadura, para todo o plantio. Para que assim, toda boa semente de amor, de graça, de virtude e de santidade possa cair nelas e dar fruto em abundância para a maior glória de Deus, Nosso Senhor.
Arai, cultivai e preparai a terra com o vosso amor, com o vosso amor generoso, aceitando todos os sacrifícios que Deus e a Mãe de Deus vos pedem pela salvação das almas como Eu mesmo aceitei. Fazendo de vossa vida uma contínua doação a Deus e à Mãe de Deus, servindo-Os como Eles querem e esperam de vós, tornando-vos assim: mensageiros, semeadores de Sua Palavra, de sua graça, de Seu amor e de Sua Santa lei entre os homens, indo de casa em casa e levando as Mensagens Deles, levando as orações que Eles vos deram, levando o conhecimento de Seu amor, de Suas leis, de Suas Mensagens a todos. Para que assim, tantas almas, hoje semelhantes a desertos áridos onde só vivem serpentes e víboras, ou seja: pecados, vícios, trevas, maldades e demônios. Para que assim esses desertos transformem-se em outros jardins de verdadeira graça, santidade e beleza para a maior glória de Deus!
Arai, cultivai a terra, preparai-a para a vinda do Senhor da Messe que já está próxima, fazendo com que por vossas mãos todo o joio seja arrancado e lançado fora e todo o trigo bom de virtudes, ou seja, de almas virtuosas, de almas santas, obedientes a Deus e à Mãe de Deus cresçam e dêem muitas espigas, muitos frutos para a maior glória do Senhor, exaltação de Seu Nome e alegria do Céu e da Terra. Se vós fordes esses bons semeadores, se vós fordes esses bons lavradores como Eu mesmo o fui, vós, vós vereis tantas almas que hoje são como desertos, transformarem-se em terras verdes cheias de  bons frutos e de flores de santidade, para que assim quando o Senhor da Messe voltar e vos encontrar trabalhando para Ele, vos dê a sua paga, o seu salário pelas vossas boas obras e também vos leve com Ele, para assentar-vos à mesa Dele, à mesa de Seu banquete, para ali desfrutardes com Ele dos frutos de Sua terra que vós em nome Dele e por amor a Ele com tanto amor e generosidade cultivastes. Então, será grande a vossa alegria junto à mesa do Rei, na casa do Senhor. Enquanto que para os servidores preguiçosos, para os seguidores, para os servidores do Senhor que não quiseram trabalhar será um momento de angústia, de tristeza, desolação, choro e ranger de dentes, porque tiveram todo o tempo para trabalharem para o Senhor, mas egoistamente não quiseram fazer. Preferiram consumir todo o seu tempo e suas forças semeando unicamente para si mesmos, unicamente procurando a satisfação dos seus interesses, dos seus desejos carnais, dos seus interesses espúrios (imundos), mesquinhos, humanos e egoístas. Para esses será grande, grande o ranger de dentes quando virem o Senhor mandar os Seus Anjos amarrá-los de pés e mãos e jogá-los no lago de fogo e enxofre, onde haverá choro pelos séculos do séculos.
Sede vós os bons semeadores, os bons seguidores, os bons servidores do Senhor e da Senhora da Messe, fazendo de vosso tempo bom uso para produzir frutos, ou seja, conquistar almas para Eles, pois quem conquistar a alma de seu irmão para o Senhor, na verdade predestinará à salvação a sua própria alma.
Eu, ISIDORO, o lavrador prometo ajudar-vos a serdes os bons semeadores, a serdes os bons segadores (ceifadores) da messe.
Vinde Comigo! Dai-me a vossa Mão e Eu vos ajudarei a serdes esses servos do Senhor que trabalham noite e dia para que a vinha do Senhor da Messe produza ‘dez por um’, ‘cem por um’, ‘mil por um’.
Eu estou convosco! Nas vossas aflições, chamai-Me! Nas vossas tribulações, invocai-Me! Em vossos trabalhos, convidai-Me a trabalhar convosco! E seja qual for a dificuldade vos ajudarei a superar. E seja qual for a tarefa a cumprir em nome do Senhor e de Sua Mãe, Eu unirei a Minha mão à vossa e a farei juntamente convosco e tudo sairá melhor, tudo sairá bem e tudo será muito mais agradável aos olhos de Deus e da Sua Mãe Santíssima.
REZAI O ROSÁRIO! Continuai com ele! Ele foi a Minha oração predileta, com a qual Eu alcancei o céu. Ele foi para Mim a maior escola de santidade que tive. E vós, seguindo pelo Rosário, deixando-vos ensinar, guiar, formar e santificar pelo Rosário, pelas lições que os Mistérios do Rosário encerram, vós também chegareis à glória celeste, àquelas moradas que vos foram preparadas pelo Senhor desde o princípio dos tempos! Eu vos ajudarei com o Meu amor, com a Minha caridade, com a Minha bondade.
A todos neste momento generosamente abençôo.”

Marcos: “-Sim... Sim... Muito obrigado. Até breve Senhora minha! (Pausa) Até breve amado Santo Isidoro. Volte breve, sim?”





SANTO ISIDORO O LAVRADOR
Os seus milagres em vida e morte


Os seus milagres foram mais de quatrocentos durante a sua vida e depois da morte, como na ocasião em fez brotar água de uma rocha para dar de beber a um sequioso. Mas, o mais conhecido é o que se deu quando o seu filho caiu acidentalmente ao poço de sua casa, e inexplicavelmente a água do poço começou a subir até trazer o seu filho ao cimo do poço são e salvo. Este e outros milagres fizeram com que, na altura em que morreu, com 90 anos, era já considerado santo pelas pessoas.
Depois da sua morte muitos pediam a sua intercessão e obtiveram dele os favores. O rei de Espanha, Filipe III, estava muito doente, a ponte de morrer. Quando tiraram os restos incorruptos de Santo Isidro, do cemitério onde tinha sido enterrado, passou-lhe a febre, e quando o corpo chegou até ele o rei ficou curado completamente, o que o levou a interceder para que fosse canonizado.
 

Diz-se também que apareceu a Alfonso de Castilha, ao qual mostrou um caminho escondido que surpreendeu os mouros e o fez ganhar a batalha de Navas de Tolosa em 1212. Por estes e muitos mais milagres foi canonizado em 1622 junto com Santa Teresa e São Francisco Xavier entre outros santos.
Santo Isidro, juntamente com a Virgem de la Almudena, é patrono de Madrid. Actualmente está enterrado na madrilena Colegiata de San Isidro, que durante muitos anos foi a Catedral de Madrid. A sua festa celebra-se a 15 de Maio.


Santo Isidro é o Padroeiro principal da cidade de Madri.

Santo Isidro, pobre lavrador por sua condição, nasceu em Madrid, de pais pobres, mas tementes a Deus. Tendo desposado uma virtuosa donzela, chamada Maria, inspirou-lhe bem depressa os seus sentimentos e a sua devoção. O filho, que foi o único fruto deste casamento, ressentiu-se da piedade dos pais. Vendo Santo Isidro as formosas inclinações da mulher, propôs-lhe viverem como irmão e irmã; a isto se comprometeram por voto.
Obrigado a ganhar, pelo trabalho das mãos, o necessário para o sustento de sua pequena família, pôs-se ao serviço da casa dos Veras de Madrid, obrigando-se a cultivar as terras mediante salário. Levantava-se de madrugada e, antes de ir para o trabalho, dirigia-se em visita a algumas igrejas, onde ouvia todos os dias Missa.
Como estava assalariado, fizeram saber ao amo que ele em vez de ir cedo para o trabalho, se punha a visitar igrejas. O amo quis examinar a verdade da denúncia e chegou a saber que o seu rendeiro ia todos os dias rezar a muitas igrejas; julgou pois que a sua fazenda não podia deixar de sentir-se de uma devoção que lhe roubava as primeiras horas do dia. Estando seguro de surpreendê-lo, depois de lhe dar tempo a que chegasse ao campo, apresentou-se lá todo irado, mas ficou muito espantado ao ver de longe duas charruas a seu lado, puxadas a bois brancos.
Mas, desde que se aproximou, as duas charruas desapareceram. O que vira abonançou-o; cumprimentou graciosamente o lavrador, e em tom afável disse-lhe: “Confessa-me sinceramente, Isidro, donde eram essas duas charruas que trabalhavam contigo e desapareceram, à minha chegada?” “Não sei, respondeu o santo, que eu tenha outro socorro senão o de Deus; invoco-o no começo do meu trabalho, e nunca O perco de vista durante o dia”. O senhor Vera compreendeu o que significava a sua visão, e qual era o merecimento do seu rendeiro; exortou-o a nada alterar em suas práticas de devoção; reconheceu que em toda a região não havia campo melhor cultivado.
Tinha recebido um dom de oração muito sublime, a qual era principalmente contínua contemplação. O seu amor à Santíssima Virgem parecia ter-se antecipado ao uso da razão; a Ave-Maria era a sua prece favorita; não falava da Mãe de Deus senão com entusiasmo.
A sua caridade para com os pobres era extrema, e deve considerar-se um milagre a quantidade de esmolas que dava; e Deus fazia muitos milagres para autorizar as suas liberalidades e a sua confiança. Tendo um dia distribuído aos pobres tudo o que tinha, apareceu um, a quem não pôde resolver-se a recusar esmola; sua mulher, tendo buscado por todos os escaninhos, declarou-lhe a impossibilidade em que estavam de o socorrer. “Tu não tens confiança, torna-lhe o Santo; procura com um pouco mais de fé e acharás que dar de esmola». O acontecimento acreditou a predição; uma abundância miraculosa se lhe deparou subitamente em casa; grande número de pobres foi contemplado; e esta mulher compreendeu quanto a caridade torna a confiança eficaz.
Não era somente a favor dos pobres que Deus autorizava a sua caridade; a compaixão pelos animais foi muitas vezes acompanhada de milagres. Indo um dia moer trigo, viu todo o campo coberto de neve e, sobre uma árvore, grande número de aves, prestes a morrerem de fome; impressionou-se, espalhou parte do trigo, dizendo com simplicidade e doçura: “Comei avezinhas. Deus dá abundantemente para todos”. Um dos amigos, que o acompanhava, riu-se de tal simplicidade, e tomou-a por imbecilidade; mas penitenciou-se logo que viu, ao chegarem ao moinho, que os sacos de santo Isidro se encontravam mais cheios do que antes de ter espalhado o trigo; o censor transformou-se em panegirista da maravilha.
Santo Isidro passava os dias nesta santa obscuridade, desconhecido dos grandes do mundo, confundido entre os pobres lavradores.
Tendo caído doente, previu o dia feliz em que o Senhor queria terminar os seus trabalhos. Preparou-se para esta última hora, com novo fervor. Enfim, abrasado no amor de Deus, cheio de virtudes, cumulado de merecimentos, morreu a 15 de Maio de 1170, na idade de cerca de 55 ou 60 anos.
Apenas expirou, Deus manifestou a glória do seu servo por grande número de milagres, que tomaram o seu túmulo glorioso e célebre por toda a Espanha; o seu corpo ficou, todavia, por espaço de quarenta anos, enterrado sem distinção no cemitério da paróquia de Santo André de Madrid.
Mas santo Isidro apareceu em sonhos a um pobre homem que o tinha conhecido, e disse-lhe que procedesse por forma que o seu corpo fosse exumado do cemitério para ser colocado na igreja, em lugar mais decente. Tendo ele, por timidez ou desconfiança, negligenciado a ordem, foi punido com grave enfermidade, de que se não pôde curar, senão no dia da transladação do santo corpo.
O tempo decorrido desde esta transladação tendo sido cheio de milagres seus, Paulo V, depois de todas as informações e formalidades ordinárias, resolveu publicar a bula da sua beatificação no ano de 1619.
O zelo desenvolvido pelo rei Filipe III para apressar esta beatificação foi em breve recompensado. Voltava ele de Lisboa, quando enfermou em Casarubios dei Monte; os médicos desesperavam de lhe salvar a vida. Todos os remédios eram inúteis; foi preciso recorrer à poderosa intercessão do Santo lavrador.
Enquanto se estava celebrando a Missa em sua honra na igreja de Santo André, pela saúde do rei, um correio trouxe a notícia de que ele estava nos últimos momentos, e tinha já perdido todo o conhecimento. A consternação foi geral; mas a confiança na proteção do santo susteve as lágrimas, sobretudo quando se soube na cidade que, por ordem dos magistrados, se ia levar o caixão do santo ao quarto do rei enfermo. Colocaram o caixão sobre uma espécie de carro magnificamente adornado. O príncipe herdeiro saiu a receber a santa relíquia com toda a corte à entrada do parque, e acompanhou-a até ao quarto do rei, seu pai.
O caixão foi colocado numa espécie de trono, junto ao doente. O rei, logo que a santa relíquia entrou no seu quarto, sentiu-se completamente curado.
O papa Gregório XV, a instâncias de Filipe IV e para dar satisfação aos desejos de toda a Espanha, procedeu solenemente à sua canonização no dia 22 de Março do ano de 1622. Foram juntamente canonizados os santos Inácio de Loyola, Francisco Xavier, Teresa de Á vila e Filipe Néri.

Corpo Incorrupto de Santo Isidoro Lavrador



15 de maio

Santo Isidoro Lavrador

Isidoro nasceu em Madri, na Espanha, em 1070, filho de pais camponeses, simples e seguidores de Cristo. O menino cresceu sereno, bondoso e muito caridoso, trabalhando com os familiares numa propriedade arrendada. Levantava muito cedo para assistir a missa antes de seguir para o campo. Quando seus atos de fé começaram a se destacar, já era casado com Maria Toríbia e pai de um filho.

Sua notoriedade começou quando foi acusado de ficar rezando pela manhã, na igreja, em vez de trabalhar. De fato, tinha o hábito de parar o trabalho uma vez ao dia para rezar, de joelhos, o terço. Mas isso não atrapalhava a produção, porque depois trabalhava com vontade e vigor, recuperando o tempo das preces. Sua bondade era tanta que o patrão nada lhe fez.

Não era só na oração que Isidoro se destacava. Era tão solidário que dividia com os mais pobres tudo o que ganhava com seu trabalho, ficando apenas com o mínimo necessário para alimentar os seus. Quando seu filho morreu, ainda criança, Isidoro e Maria não se revoltaram, ao contrário, passaram a se dedicar ainda mais aos necessitados.

Isidoro Lavrador morreu pobre e desconhecido, no dia 15 de maio de 1130, em Madri, sendo enterrado sem nenhuma distinção. A partir de então começou a devoção popular. Muitos milagres, atribuídos à sua intercessão, são narrados pela tradição do povo espanhol. Quarenta anos depois, seu corpo foi trasladado para uma igreja.

Humilde e incansável foi esse homem do campo, e somente depois de sua morte, e com a devoção de todo o povo de sua cidade, as autoridades religiosas começaram a reconhecer o seu valor inestimável: a devoção a Deus e o cumprimento de seus mandamentos, numa vida reta e justa, no seguimento de Jesus.

Foi o rei da Espanha, Filipe II, que formalizou o pedido de canonização do santo lavrador, ao qual ele próprio atribuía a intercessão para a cura de uma grave enfermidade. Em 1622, o papa Gregório XV canonizou santo Isidoro Lavrador, no mesmo dia em que santificou Inácio de Loyola, Francisco Xavier, Teresa d'Ávila e Filipe Néri.

Hoje, ele é comemorado como protetor dos trabalhadores do campo, dos desempregados e dos índios. Enfim, de todos aqueles que acabam sendo marginalizados pela sociedade em nome do progresso. Santo Isidoro Lavrador é o padroeiro de Madri.